Manual de Casamento Judaico

Ver o tópico anterior Ver o tópico seguinte Ir em baixo

Manual de Casamento Judaico

Mensagem por walmer em Sab Jan 15, 2011 12:54 pm

Introdução: É importante entendermos que o casamento é uma ordenança de Deus, e, Ele cobra isso do homem que foi feito à Sua imagem e semelhança. A Bíblia nos ensina que a instituição familiar é um projeto de Deus (Gn 2:18; 21-25 “Disse mais o SENHOR Deus: Não é bom que o homem esteja só; far-lhe-ei uma auxiliadora que lhe seja idônea... Então, o SENHOR Deus fez cair pesado sono sobre o homem, e este adormeceu; tomou uma das suas costelas e fechou o lugar com carne. E a costela que o SENHOR Deus tomara ao homem, transformou-a numa mulher e lha trouxe. E disse o homem: Esta, afinal, é osso dos meus ossos e carne da minha carne; chamar-se-á varoa, porquanto do varão foi tomada. Por isso, deixa o homem pai e mãe e se une à sua mulher, tornando-se os dois uma só carne. Ora, um e outro, o homem e sua mulher, estavam nus e não se envergonhavam”).

O casamento passou por algumas alterações no decorrer dos tempos, muita coisa mudou. Coisas como valores morais, princípios e deveres, que são os papeis desempenhados pela família, inclusive a própria cerimônia do casamento em si, mudou. Hoje as igrejas evangélicas adotaram o modelo instituído por Roma e adotado pela igreja católica. Onde o noivo entra primeiro e espera a noiva no altar

O QUE DEUS CONSIDERA COMO CASAMENTO BÍBLICO.

1- Deus apenas enxerga como casamento quando o casal é casado legalmente pelas leis civis do país.
2- Um casal é casado aos olhos de Deus quando eles tiverem algum tipo de cerimônia religiosa de casamento, efetuado por um sacerdote ordenado e autorizado para isso, inclusive pelas leis civis.
3- Deus considera um casal como casados, quando há a consumação da relação sexual após a celebração legal da cerimônia.
4- O casamento bíblico deve ser o chamado “casamento civil-religioso”. Onde os noivos dão entrada no cartório de registros civis e pedem a certidão de habilitação do cartório para ser celebrado na igreja por um sacerdote.
O cartório deve liberar uma certidão chamada de “certidão de habilitação” que deve ficar em posse da igreja e arquivada como documento legal de prova do casamento, e, a igreja deve passar os dados da certidão para um livro chamado de “termo de casamento religioso” que contém duas vias iguais. Uma é destacável e após ser assinada no ato da cerimônia pelos: sacerdote celebrante, os noivos e as testemunhas, deve ser levada ao cartório onde se deu entrada, para ser legitimada e substituída pela certidão de casamento.
É bom lembrar que os noivos têm até trinta dias (30) após a data da celebração religiosa para apresentar ao cartório o termo de casamento religioso, após esta data, o casamento religioso será anulado senão for apresentado o termo de casamento religioso.
5- O casamento que não for antes registrado, reconhecido e liberado pelo juiz de direito para ser celebrado por um sacerdote, não será considerado um casamento bíblico. Porque Deus respalda as leis de uma nação. Só a cerimônia religiosa, sem o reconhecimento civil não tem validade para Deus. Portanto, em nosso ministério não celebraremos.
6- Quando estes princípios são respeitados pelo marido e esposa em boa harmonia como crentes nascidos de novo, tem-se um casamento bíblico.
7- O conceito bíblico de casamento é o de unidade entre dois indivíduos, essa unidade é uma representação da unidade do relacionamento de Cristo com Sua igreja.

TENDA (SUKÁ= Hebraico).
• Os noivos devem se casar em baixo de uma tenda, que pode ser armada dentro da igreja e enfeitada com as cores da ornamentação. De preferência com duas cores apenas.
A origem da Suká: Este era um costume nos tempos antigos. Plantava-se um pinheiro quando nascia uma menina, e um cedro quando nascia um menino. Quando eles se casavam, fazia-se a suká (uma espécie de tenda de ramos) entrelaçando os galhos dessas duas árvores. Era símbolo de dois seres que cresceram separadamente, e, pelo casamento, unem-se num só.

O USO DO VÉU PELA NOIVA.
• A noiva pode usar um véu durante a cerimônia. A tradição tem origem na história de Rebeca que se cobriu com um véu, quando viu e aproximou-se do futuro marido, Isaac. (Gênesis 24:65)

A CERIMÔNIA RELIGIOSA.

1- PALAVRA PASTORAL DE BOAS VINDAS AOS CONVIDADOS.
O pastor deve saudar a igreja e desejar boas vindas a todos os presentes. Dizer que estão ali não apenas para assistirem a uma cerimônia de casamento, mas para abençoarem aos noivos (deve falar os nomes).

2- ENTRADA DOS PAIS E PADRINOS (MÚSICA DE FUNDO).
Os pais e padrinhos devem entrar primeiro, trazendo os elementos simbólicos em vasilhas especificas preparadas para este fim. Devem ir até o altar e entregar ao sacerdote que já estará no altar para cumprimentá-los e receber os elementos e levá-los a mesa que estará preparada para isso. Assim que o sacerdote pegar cada elemento em suas mãos, deve falar sobre o significado de cada um.

- O SIGNIFICADO DO PÃO: (Trazido pelos pais do noivo).
1- O pão e o vinho, sobretudo na antiguidade, foram a comida e bebida mais comum para muitos povos. Jesus Cristo ao instituir a Santa Ceia se serviu dos alimentos mais comuns para simbolizar sua presença constante entre as pessoas e em especial em um lar.
2- A instituição da Santa Ceia foi feita por Jesus, quando ofereceu o pão e o vinho aos seus discípulos dizendo: "Tomai e comei, isto é o meu corpo... Isto é o meu sangue...".
3- O pão e o vinho são mais que um símbolo. É a presença real e verdadeira de Cristo junto ao seu povo, para perdão vida e salvação. Sendo assim, ele representa a presença constante de Jesus nesta nova família que está sendo formada.
4- Simbolicamente ao oferecer o pão, os pais estão entregando como herança eterna, aos noivos, a presença de Jesus sempre em seu novo lar.
5- Na santa ceia, Jesus ensinou que os seus discípulos estivessem em comunhão constante, e em estreita amizade com Ele e com o Pai. Portanto esse ato celebrava o inicio de uma Nova Aliança entre o homem e Deus.
6- No casamento o pão também representa o estabelecimento de uma nova aliança entre as duas famílias (a do noivo e a da noiva), que estão sendo unidas pelo casamento dos seus filhos e a aliança entre os noivos e Deus.

- O SIGNIFICADO DO VINHO: (Trazido pelos pais da noiva).
1- O vinho é uma simbologia de liberdade, alegria e redenção mencionadas na Torá (livro que contém o Pentateuco, que é composto pelos cinco primeiros livros da Bíblia. Entre os judeus é chamado de “Torá”, uma palavra da língua hebraica que significa ensinamento, instrução, ou especialmente Lei).
2- O vinho dentro do casamento significa regeneração, perdão e restauração da família, caso algo desagradável venha atingi-la. Ele representa o amor e o perdão de Deus através do sacrifício de Cristo dentro do casamento.

- O SIGNIFICADO DO AZEITE: (Trazido por um casal de padrinhos).
1- O Azeite é um símbolo de força espiritual e luz (provável analogia pelo fator combustível do azeite nas lâmpadas e por ser uma das mais importantes fontes nutritivas do passado).
2- Na Bíblia, o azeite é utilizado como o símbolo da presença de Deus e do Espírito Santo
3- No casamento é um símbolo de santidade e pureza entre o casal. "Então Moisés tomou o azeite da unção, e ungiu o tabernáculo, e tudo o que havia nele, e o santificou;" Levítico 8:10. Um lar cristão deve ser santo.

- O SIGNIFICADO DO LEITE: (Trazido por um casal de padrinhos).
1- O leite é um alimento que aparece simultaneamente ao nascimento de cada mamífero incluindo o homem. Em cada fase da vida o leite é essencial, porque ele possui propriedades únicas e naturais, importantíssimas para atender às necessidades específicas do organismo humano.
2- Biblicamente conclui-se que o leite, desde os primórdios, representa bem mais que um alimento, sendo o primeiro contato do ser humano com o mundo e uma das principais fontes de alimentação para o seu desenvolvimento.
3- Neste momento da vida dos noivos, o leite representa esse começo de vida nova a dois. Onde ambos estarão iniciando em um novo mundo (o casamento), mas, assim como as novas crias crescem e se fortalecem sendo alimentados pelo leite materno, o casal crescerá e se fortalecerá como família, criando seus filhos com saúde, beleza e vigor.

- O SIGNIFICADO DO MEL: (Trazido por um casal de padrinhos).
1- O mel é um símbolo de coisas doces e agradáveis na vida. É o contrário do amargor, do dissabor que muitas vezes tem sido experimentado pelo ser humano. Portanto o mel tem esse ato profético de representar apenas os momentos prazerosos na vida da família.
2- O mel representa mais do que doçura por si só. É um dos atributos da terra de Israel que é descrita na Bíblia como: “a terra do leite e mel”. Deste modo, o mel na mesa de uma família cristã, é uma simbologia do amor e suprimento de Deus.
3- O significado do mel neste momento da vida dos noivos é o simbolismo de um "novo tempo doce". Doce significa bom, precioso, agradável, satisfatório, sereno, seguro e que traga coisas prazerosas para o casal.

- O SIGNIFICADO DO SAL: (Trazido por um casal de padrinhos).
ATENÇÂO: O significado do sal só deve ser dito depois dos votos dos noivos, na hora do pacto do sal.
1- O sal está presente em rituais religiosos de diversas épocas e civilizações. Foi usado por gregos, romanos, asiáticos e árabes. Nas crenças populares, ele é um ingrediente obrigatório para afastar energias negativas e mau-olhado. Em várias culturas, acredita-se que o sal tem o poder de afastar espíritos malignos e as energias negativas. Por essa razão, era oferecido aos deuses para afastar os demônios e muitos sacerdotes utilizavam-no nos rituais e nas cerimônias religiosas. Entre os gregos, hebreus e árabes o sal é símbolo da amizade e da hospitalidade porque é compartilhado e da palavra dada porque o sabor é indestrutível.
2- O sal como símbolo de incorruptibilidade, a aliança de sal descrita na bíblia, designa uma aliança entre Deus e o homem que não pode se romper ou corromper (Lev 2:13).
3- Simbolicamente na Bíblia, quando diz que o sal é bom, o contexto refere–se às qualidades boas do sal que é de: conservação, temperar, dar sabor, sarar feridas, impedir de putrificar. Também representa comunhão amigável e boa hospitalidade, limpeza e fertilidade.
4- A aliança que Deus lembra em Levítico 2:13, é àquela que foi confirmada com sal com os sacerdotes em Números 25.12, 13. Quando o povo dava as ofertas e, quando os sacerdotes receberam tais ofertas, o sal junto às ofertas significava que Deus lembrava a Sua aliança do sacerdócio perpétuo. Também lembrava os sacerdotes da benignidade de Deus de estabelecer tal aliança de paz com eles. O sal no casamento representa a aliança de Deus com o sacerdócio da família. Onde o marido é o sacerdote do lar.
5- A Bíblia exorta-nos a ter sal nas palavras (Colossenses. 4.6) ou nas nossas vidas (Marcos 9.49,50). O ensino é para nos restringirmos àquilo que preserva boas maneiras, morais e virtudes na sociedade e nos relacionamentos. Devemos ter sempre boas palavras para dizer ao nosso cônjuge, aos nossos filhos.
6- Devemos ser vigilantes para não deixar as influências externas extrair de nós essas belas qualidades virtuosas de sermos bons cristãos. O casal deve ter sempre “sal” em seu relacionamento conjugal e nunca perder o sabor um do outro.
7- O sal também significa unidade entre o casal. Agora eles são uma só carne. Um pertence ao outro. Significa que o corpo do homem pertence à mulher e o corpo da mulher pertence ao homem e que não podem negar- se um ao outro, salvo por consentimento mútuo.

- O SIGNIFICADO DA MENORA (CANDELABRO): (Trazida pela dama ou casal).
1- Não só para os Judeus como para algumas religiões cristãs. Cada vela da menorá simboliza um dos espíritos de Deus descritos em Isaías 11.2,3 os quais são: o espírito de sabedoria, de entendimento, de conselho, de fortaleza, de conhecimento, de temor ao Senhor e de prazer no Senhor.
2- Tanto no Judaísmo quanto no Cristianismo, o número sete representa a perfeição de Deus.
3- A luz da “Menorá” representa o Espírito Santo e a sua unção de consolador. (João 16: 7) e a presença constante da glória de Deus (no hebraico Shekinah) na casa.
4- “Yeshua” (Jesus) é o candeeiro, pois Ele é a luz do mundo. E o número sete indica a perfeição do seu ofício de iluminador do mundo. (João 1: 9) “A luz verdadeira que ilumina a todos os homens, estava vindo ao mundo.”
5- Na família não podem faltar a presença dos sete espíritos de Deus; a presença do Espírito Santo e a luz da presença de Jesus.

- O SIGNIFICADO DO TRIGO: (Trazido por um casal de padrinhos).
1- Na bíblia o trigo é símbolo da prosperidade, da abundância, da fertilidade e da riqueza.
2- O trigo também indica sucesso no trabalho e conquistas na vida; representa autoridade e governo; colheita farta.
3- A família foi instituída por Deus para abençoar e ser abençoada na terra (Gn 12:3). Portanto o trigo presente no ato do casamento é um símbolo profético importante.

3- LOUVOR (2 MÚSICAS CONGREGACIONAL).
Deve se cantar no máximo duas músicas congregacionais, para não estender muito a cerimônia.

4- ENTRADA DA DAMA COM A MENORÁ (caso tenha-usar uma música de fundo).
A dama deverá entrar com a menorá à frente da noiva. A dama pode entrar só ou com um par. E ambos devem ir até ao altar, cumprimentar o sacerdote entregar a menorá e assentar-se em cadeiras antes reservadas para eles. A menorá deverá estar com as velas acesas.

5- ENTRADA DA NOIVA (MÚSICA DE FUNDO).
1- A noiva deve entrar só e caminhar até ao altar e cumprimentar o sacerdote. Ela representa a igreja e na bíblia, é a igreja que se atavia para esperar o noivo e não o noivo que se prepara para receber a noiva. Por isso a nova vem antes do noivo.
2- Quando a menorá levada pela dama, entra na frente da noiva até ao altar, isso representa a plenitude de Deus, um sinal profético de que a noiva está sendo conduzida ao altar pelo Espírito Santo de Deus para receber o noivo escolhido por Ele para ela.

6- EXPLICAÇÃO: O PORQUÊ DA ENTRADA DA NOIVA ANTES DO NOIVO.
O sacerdote deve explicar aos convidados, a razão porque a noiva entra antes do noivo, uma vez que eles estão acostumados com o modelo de casamento tradicional romano.

7- ENTRADA DO NOIVO (Deve ser com o toque do Shofar anunciando a chegada do noivo).
1- A entrada do noivo deve ser triunfal porque ele representa a pessoa do Senhor Jesus Cristo que vem buscar a sua noiva- a igreja. Ao ouvir o toque do Shofar, a igreja deve aplaudir e dar brados de jubilo ao ver o noivo entrando e caminhando até ao altar.
2- Quando o noivo estiver mais ou menos no centro da igreja ou salão, a noiva que está no altar, sai ao encontro do noivo (Mt 25:6), simbolizando o encontro da igreja com Jesus nos ares. Ao se encontrarem a noiva beija o rosto do noivo e este beija-lhe a mão e olhando para a noiva, o noivo dá três voltas em redor da noiva.

8- O SIGNIFICADO DAS TRÊS VOLTAS
1- O sacerdote deve explicar o que significa as três voltas. Para cada volta que noivo der em redor da noiva, o sacerdote deve explicar o significado uma por uma. O noivo deve esperar o sinal do sacerdote para então dar a próxima volta.
2- Após as três voltas os noivos seguem até ao altar, a noiva à direita do noivo (Sl 45:9;13-15). Isso significa que assim como a igreja é legitima em sua autoridade e governo na terra, assim a esposa é legítima em sua autoridade e autenticidade como esposa. Ela passa a ser única na vida do noivo.
3- Os noivos devem se sentar em cadeiras ao lado do altar à direita do sacerdote e de frente para o publico.

1- A VOLTA DO AMOR
A- Significa que o amor deve ser o vinculo maior entre o casal. Assim como Cristo amou a igreja e se entregou por ela (Ef 5:25), assim o marido deve amar a sua esposa e cuidar dela. O marido deve envolvê-la com o seu amor, com o seu carinho e afeto.

2- A VOLTA DA FIDELIDADE
A- A fidelidade entre o casal deve ser um pacto inviolável. Assim como Cristo é fiel a Deus e a sua igreja, o marido deve ser fiel a sua esposa em todos os aspectos. A fidelidade envolve sinceridade, transparência, compromisso, verdade, honestidade e firmeza de caráter. Se existe isso na família, esta estará protegida e consolidada.

3- A VOLTA DA PROTEÇÃO E CUMPLICIDADE
A- A família precisa estar coberta e bem protegida. Deus protege a igreja como a menina dos Seus olhos, assim também o marido deve proteger a sua esposa. Mas a proteção dentro do casamento deve ser mútua, ambos tem a responsabilidade de proteger um ao outro, isso é cumplicidade entre o casal. Os cônjuges não devem descobrir o seu lar por nada.

9- A DANÇA DOS NOIVOS (opcional – um casal pode dançar ou mesmo uma ou duas moças).
É importante que haja este momento, embora não seja uma obrigação na cerimônia. Mas nos casamentos judeus sempre há a dança dos noivos, feita pelos próprios noivos.

10- MENSAGEM (opcional porque as explicações de cada símbolo já é uma boa mensagem)

11- ENTRADA DAS ALIANÇAS (uma pessoa ou casal pode entrar com as alianças -música de fundo),
As alianças devem ser entregues ao sacerdote, que deverá ungi-las com o óleo da unção.

12- DECLARAÇÕES E VOTOS DOS NOIVOS.
1- Após a entrada das alianças, o sacerdote chamará os noivos a ficarem em pé diante dele, tomará as alianças e entregará a aliança da noiva na mão do noivo e perguntará à noiva se ela está disposta a receber o noivo por seu legítimo esposo?
2- Então o sacerdote pedirá para que o noivo repita com ele as seguintes palavras: “Este anel é o símbolo da minha aliança, do meu amor e fidelidade para com você (deverá dizer o nome da noiva). Ele é o meu penhor diante de Deus, do sacerdote e das testemunhas presentes. Através dele eu a tomo por minha legítima esposa para viver com você segundo o que foi ordenado por Deus na santa instituição do casamento, e, prometo amá-la, honrá-la, consolá-la e protegê-la na enfermidade ou na saúde, na prosperidade ou na adversidade e me manterei fiel a você, enquanto nós dois vivermos” e colocará a aliança no dedo esquerdo da noiva.
3- Em seguida o sacerdote entregará a aliança do noivo à noiva e perguntará ao noivo se ele está disposto a receber a noiva por sua legítima esposa?
4- Então o sacerdote pedirá para que a noiva repita com ele as seguintes palavras: “Este anel é o símbolo da minha aliança, do meu amor e fidelidade para com você (deverá dizer o nome do noivo). Ele é o meu penhor diante de Deus, do sacerdote e das testemunhas presentes. Através dele eu o tomo por meu legítimo esposo para viver com você segundo o que foi ordenado por Deus na santa instituição do casamento, e, prometo amá-lo, honrá-lo, ajudá-lo, respeitá-lo e cuidar de você na enfermidade ou na saúde, na prosperidade ou na adversidade e me manterei fiel a você, enquanto nós dois vivermos” e colocará a aliança no dedo esquerdo do noivo.
5- Então o sacerdote pode pedir que o noivo beije a noiva, como um símbolo do selo desta união.

13- PACTO DO SAL (LV 2:13)
1- Este é o momento em que o sacerdote chamará os noivos e colocará um pouco de sal em duas vasilhas pequenas e transparentes de preferência, e entregará uma para cada um dos noivos. Então pedirá que juntem as porções em uma só. Isso significa que ambos agora, são uma só carne, e, então explicará o significado do sal.

14- CEIA E QUEBRA DA TAÇA.
1- Depois do pacto do sal, o sacerdote ministrará a ceia para o casal e seguirá a ordem seguinte: Primeiro o noivo dá o pão e o vinho para a noiva e depois ela faz o mesmo com ele.
2- Durante a ceia os noivos bebem da mesma taça de vinho e o noivo esmaga a taça com o pé (ou quebra com um porrete) após beber o vinho, enquanto os convidados desejam felicidades e podem aplaudir.
3- A interpretação deste ato é que a quebra da taça simboliza um rompimento com a vida passada dos noivos. O casal ingressa no casamento sem quaisquer sentimentos de culpa que poderiam prejudicar seu relacionamento. Esquecimento de qualquer outro relacionamento que porventura tenham tido antes de se conhecerem e decidirem unir-se pelos laços do casamento.
4- Este ato de quebrar a taça, significa fechar as brechas na vida do casal e em sua aliança, que nenhuma outra pessoa poderá beber naquela taça (nenhum outro homem e nenhuma outra mulher poderá entrar neste relacionamento para desfazê-lo).

15- ORAÇÃO E BENÇÃO SACERDOTAL SELANDO O CASAMENTO.
1- Então o sacerdote pedirá para que os noivos se ajoelhem um de frente para o outro e ministrará sobre eles com imposição de mãos, ungindo-os com o óleo da unção. Abençoará e selará a união diante de Deus.
2- Ele poderá chamar também outros sacerdotes presentes para abençoarem a união do casal.
3- O sacerdote deve chamar os pais dos noivos também para liberarem palavras de bênçãos e o sacerdote pode falar e eles repetirem palavras anulando toda e qualquer maldição, que porventura existam sobre os seus filhos. Pois é muito importante que neste momento, os pais liberem a vida e abençoem seus filhos publicamente para a nova vida que eles estarão iniciando.

16- ASSINATURA DO LIVRO.
1- Depois da oração, o sacerdote pedirá que os noivos se levantem e assinem o livro do contrato do casamento, pois eles só serão considerados casados legalmente diante da lei, quando assinarem o livro de contrato do casamento.
2- Após a assinatura de todos, então o sacerdote se voltará para os noivos e congregação e dirá: com a autoridade que me é concedida por Deus, pela lei do nosso país e pela igreja do Senhor Jesus Cristo: “Eu os declaro marido e mulher, casados para sempre”!
3- O sacerdote dirá aos convidados que fiquem de pé porque os noivos sairão e receberão os cumprimentos deles após o término da cerimônia.

17- A OFERTA COMO SEMENTE PARA A NOVA FAMÍLIA
1- É costume entre os judeus darem uma oferta como semeadura para a nova família que está iniciando. Eles acreditam que quando ofertam como semeadura para uma família que se inicia, a benção do Deus que criou a família virá sobre eles (Gn 12:3). Eles traziam seus presentes para a nova família.
2- Antes de saírem, os noivos devem estar com uma cesta na mão e cada convidado que quiser semear e receber a benção da nova família, deve vir a frente e deixar a sua oferta dizendo: “Eu os abençôo”! E os Noivos devem dizer: “Nós o abençoamos com a benção do Deus de Abraão”!
3- Depois que recolherem a oferta os noivos devem entregar para uma pessoa de sua confiança que deverá contar o dinheiro e entregar-lhes no momento oportuno. Isso substitui a “simpatia” do pedaço da gravata que não tem nada de benção.

18- SAÍDA DOS NOIVOS E BENÇÃO FINAL.
Quando os noivos estiverem depois do meio da igreja, o sacerdote deverá chamá-los pelos nomes e dirá: “AQUILO QUE O SENHOR UNIU HOMEM NENHUM O SEPARE” VÃO NA PAZ DO NOSSO BOM DEUS!

19- OS NOIVOS RECEBEM OS CUMPRIMENTOS DOS CONVIDADOS.
Os noivos podem cumprimentar os convidados nas mesas para não tumultuar o ambiente, uma vez que todos querem falar e tirar fotos etc.com os noivos





ROTEIRO DE CASAMENTO BÍBLICO (JUDÁICO)

1- ENTRADA DOS PAIS E PADRINOS (MÚSICA DE FUNDO)
- PÃO: os pais do noivo
- VINHO: Os pais da noiva
- AZEITE: Padrinhos
- LEITE: Padrinhos
- MEL: Padrinhos
- SAL: Padrinhos

2- PALAVRA PASTORAL DE BOAS VINDAS AOS CONVIDADOS.

3- LOUVOR (2 MÚSICAS CONGREGACIONAL)

4- ENTRADA DA DAMA COM AS PÉTALAS DE ROSA (caso tenha- música de fundo)

5- ENTRADA DA NOIVA (MÚSICA DE FUNDO)

6- EXPLICAÇÃO: O PORQUÊ DA ENTRADA DA NOIVA ANTES DO NOIVO

7- ENTRADA DO NOIVO (MÚSICA DE FUNDO)

8- EXPLICAÇÃO SOBRE O PORQUÊ DAS TRÊS VOLTAS
1- A VOLTA DO AMOR
2- A VOLTA DA FIDELIDADE
3- A VOLTA DA PROTEÇÃO E CUMPLICIDADE

9- A DANÇA DOS NOIVOS (opcional – um casal pode dançar ou mesmo uma ou duas moças)

10- MENSAGEM (opcional porque as explicações de cada símbolo já é uma boa mensagem)

11- ENTRADA DAS ALIANÇAS (uma pessoa ou casal pode entrar com as alianças -música de fundo)

12- DECLARAÇÕES E VOTOS DOS NOIVOS

13- PACTO DO SAL (LV 2:13)

14- CEIA E QUEBRA DA TAÇA

15- ORAÇÃO E BENÇÃO SACERDOTAL SELANDO O CASAMENTO

16- ASSINATURA DO LIVRO

17- A OFERTA COMO SEMENTE PARA A NOVA FAMÍLIA

18- SAÍDA DOS NOIVOS E BENÇÃO FINAL (“AQUILO QUE O SENHOR UNIU, HOMEM NENHUM O SEPARE”)

19- OS NOIVOS RECEBEM OS CUMPRIMENTOS DOS CONVIDADOS



PROVIDENCIAR:

1- VINHO
2- UMA TAÇA VIRGEM
3- UMA TOLHINHA PARA ENVOLVER A TAÇA
4- UM PORRETE DE MADEIRA (PARA QUEBRAR A TAÇA)
5- 2 VASINHOS E UM POUCO DE SAL
4- CD COM AS MÚSICAS
6- MENORAH (CANDELABRO – OPICIONAL)
7- TRIGO
8- PÃO
9- UMA MESA PARA COLOCAR ESSAS COISAS NO ALTAR
10- LIVRO DE TERMO DE CASAMENTO
11- UMA CANETA ESFEROGRÁFICA PARA A ASSINATURA DO LIVRO
12- PROVIDENCIAR UMA “TENDA” (SUKÁ)

walmer

Mensagens: 20
Data de inscrição: 07/01/2011

Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Manual de Casamento Judaico

Mensagem por Mashmid em Ter Jan 18, 2011 12:53 am

Tanto um como o outro são dogmas extrabíblicos.

Não há texto algum que fale de alguma cerimônia de casamento.

O que se vê na bíblia é um acordo entre os pais da moça e o noivo.

Além disso, vemos escravas sendo dadas por mulheres a alguns patriarcas e sem acordo ou cerimômia.


Estariam transgredindo o suposto "mandamento" de deus supostamente dado a Adam ?


(Gênesis 16:3) - Assim tomou Sarai, mulher de Abrão, a Agar egípcia, sua serva, e deu-a por mulher a Abrão seu marido, ao fim de dez anos que Abrão habitara na terra de Canaã.

(Gênesis 30:4) - Assim lhe deu a Bila, sua serva, por mulher; e Jacó a possuiu.

(Gênesis 30:9) - Vendo, pois, Lia que cessava de ter filhos, tomou também a Zilpa, sua serva, e deu-a a Jacó por mulher.



Outra coisa interessante é que a Torah não proíbe à bigamia e poligamia:

(Deuteronômio 21:15) - Quando um homem tiver duas mulheres, uma a quem ama e outra a quem despreza, e a amada e a desprezada lhe derem filhos, e o filho primogênito for da desprezada,
(Deuteronômio 21:16) - Será que, no dia em que fizer herdar a seus filhos o que tiver, não poderá dar a primogenitura ao filho da amada, preferindo-o ao filho da desprezada, que é o primogênito.



As mulheres de Davi foram :

- Mical, filha de Saul (II Samuel 3:14).

- Bate-Seba, mãe de Salomão (II Samuel 12:24);

- Ainoã a jizreelita (I Samuel 3:2);

- Abigail que foi mulher de Nabal, o carmelita (I Samuel 3:3);

- Maaca, filha de Talmai, rei de Gesur (I Samuel 3:3);

- Hagite (I Samuel 3:4);

- Abital (I Samuel 3:4);

- Eglá (I Samuel 3:5).

Além de suas concubinas (amasiadas).



Mashmid

Mensagens: 241
Data de inscrição: 11/12/2008

Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Ver o tópico anterior Ver o tópico seguinte Voltar ao Topo


Permissão deste fórum:
Você não pode responder aos tópicos neste fórum